julho 17, 2005

Um Estudo Sobre Amigas

mulheres-gettyimage.jpg Um estudo que acaba de ser publicado pela Universidade de Los Angeles,
Califórnia, assinala que a amizade entre mulheres é algo verdadeiramente especial. Descobriu-se que as amigas contribuem a dar-nos identidade e modelar o nosso futuro. Constituem um remanso ante a um mundo real cheio de tormentas e obstáculos.

As amigas ajudam a preencher vazios emocionais de nossas relações maritais
e nos ajudam a recordar quem realmente somos. Segundo os cientistas, há
evidências de que Ter amigas ajuda as mulheres a prevenir o stress que ocasiona problemas estomacais.

Depois de 50 anos de pesquisas, concluiu-se que há substâncias químicas
produzidas pelo cérebro que nos ajudam a criar e sustentar laços de amizades entre as mulheres. Os pesquisadores, homens em sua maioria, estão surpreendidos pelos resultados destes estudos.

Até a publicação dos resultados desta pesquisa, existia a crença de que quando as pessoas estão sujeitas a tensão nervosa extrema, reagem produzindo hormônios que geram uma reação que conduz para a briga ou para a fuga o mais rápido possível.

A doutora Laura Cousin Klein, uma das autoras do estudo mencionado, diz que estes detonadores de hormônios constituem um mecanismo de sobrevivência tão antigo como a humanidade. Se trata de um "resabio" que remonta à época em que os seres humanos eram nômades e sua principal atividade era a caça.

O que os pesquisadores descobriram é que não existem apenas mecanismos de
respostas de fuga ou de briga. Aparentemente, quando se libera o hormônio
chamado ocitocina como parte da reação das mulheres diante do stress, estas sentem a necessidade de proteger seus filhos e de agrupar-se com outras mulheres.

Quando isso ocorre, uma maior quantidade de ocitocina é produzida, diminuindo o stress severo e produzindo um feito calmante. Estas reações não se apresentam entre os membros do sexo masculino, devido ao fato de que a testosterona que os homens produzem em altas quantidades, tende a neutralizar os efeitos da ocitocina, enquanto que os estrógenos femininos aumentam a produção deste hormônio.

A descoberta de que as mulheres respondem de maneira diferente dos homens
provocou reações sarcásticas entre os membros do laboratório onde se realizaram as investigações. A cada estudo, foi sendo demonstrado que os laços emocionais que existem entre as mulheres que são amigas reais e leais, contribui a reduzir os riscos de enfermidades ao baixar a pressão arterial e o colesterol.

Acredita-se que esta pode ser uma das razões pelas quais as mulheres vivem
mais tempo do que os homens.
As mulheres que não estabelecem relações profundas de amizade com outras
mulheres não mostram os mesmos resultados em sua saúde.

Ter amigos nos ajuda, não somente a viver, mas a viver melhor. Um estudo sobre a saúde realizado pela Faculdade de Medicina de Harvard indica que
quanto mais amigas tenha uma mulher, mais aumentarão suas probabilidades
de chegar a velhice sem problemas físicos de incapacidade, levando uma vida plena.

Não contar com amigos próximos pode provocar tantos danos à saúde quanto
a obesidade, o tabagismo, o sedentarismo. Estudou-se também como as mulheres superam momentos difíceis, como a morte do cônjuge, e estabeleceu-se que as mulheres que podem confiar em suas amigas reagem a
este fato sem enfermidades graves e se recuperam em menor tempo do que
aquelas que não tem em quem confiar.
As mulheres que são amigas constituem uma fonte recíproca de fortaleza!!!

AUTORIA: não conseguir encontrar a autoria deste artigo. acho que o original é em espanhol "RE-VALORANDO LA IMPORTANCIA DE LA OXITOCINA - Un estudio sobre el efecto benéfico de tener amigas". se alguém conhecer, por gentileza me escrever.

[Imagem: Getty Image]

Posted by Lilia at julho 17, 2005 03:41 PM
Comments