agosto 19, 2005

A felicidade

Swami Sunirmalananda*

afelicidade-Alece-Birnbach-Cheri-Danish.jpg O que é a felicidade? Felicidade é uma sensação agradável da mente. Por exemplo: eu como um doce e isto me traz à mente uma sensação agradável. Ouço uma linda música, ela gera a mesma sensação, e, a isso, chamo felicidade. Mas se eu comer novamente o mesmo doce e ouvir a mesma música quando uma tragédia acontece, já não desfrutarei deles, não mais me trarão alegria. Assim, a felicidade é algo pessoal, depende inteiramente de cada um. Ou seja, é subjetiva.

A mesma pessoa, lugar ou objeto que trouxeram felicidade em uma ocasião podem trazer sofrimento em outra. Por que isto acontece? Porque nós - e não as coisas do mundo externo - somos os responsáveis por nossa felicidade. Pessoas, lugares e objetos são apenas estímulos que afetam o cérebro, nos trazem sentimentos bons ou ruins e dependem do nosso estado de espírito.

Onde encontramos a felicidade verdadeira? Ela é intrínseca a cada um de nós. Onde está localizada? Não está propriamente localizada: nós mesmos somos a felicidade. Sim, somos feitos da natureza da felicidade. Nossa natureza é felicidade imortal. O problema é que nos esquecemos desta simples verdade.

Então, o que é esta experiência a que chamamos felicidade? É apenas um tênue reflexo, uma pequena fagulha do brilhante sol da felicidade que está oculto dentro de nós. É apenas uma sombra dessa felicidade eterna que aguarda para ser exposta. O que agora chamamos felicidade e sofrimento nada mais é do que diferentes estados de espírito.

Assim, o mundo, com todo o seu brilho e esplendor, é só um salão de exposições estimulando sensações em nossas mentes.

A verdadeira felicidade, chamada ananda, em sânscrito, é a meta de todos os seres. Todos têm esta meta, alguns de forma consciente, com conhecimento, outros não.

De acordo com os Vedas, há um aumento gradual de felicidade à medida que evoluímos na vida: felicidade mundana, felicidade mental e felicidade espiritual. A maior delas, a felicidade espiritual, ocorre quando queremos conhecer Deus, ou quando queremos saber quem somos.

Disse certa vez o sábio Swami Vivekananda: ''Nesta vida breve, se nós pudermos trazer, mesmo que seja apenas um momento de felicidade, para alegrar o coração de alguém, isto será religião de verdade. Todo o resto é disparate''.

Portanto, você der alegria aos outros, você terá alegria. Porque nós e os outros não somos diferentes. Nós todos somos um. Para dar alegria aos outros, precisamos servi-los. Este é um dos melhores modos de viver na felicidade.

Para concluir, uma mensagem de Sri Sarada Devi, a Santa Mãe : ''Quem tem mente pura vê tudo puro. Se desejas paz mental, não busques faltas nos outros. Ao contrário, procure ver tuas próprias faltas''.

* Swami Sunirmalananda é monge budista da Ordem Ramakrishna
Fonte: JB Online
[Imagem: Alece Birnbach, "Cheri Danish"]

Posted by Lilia at agosto 19, 2005 12:58 PM
Comments