outubro 12, 2007

O amor é nosso único caminho

Eunice Ferrari

sunset_mtdora1_350.jpg "O amor é a força mais sutil do mundo" - Mahatma Ghandi

Quanto mais trabalho e vivo, mais tenho a certeza que somos todos filhos de um único Pai e que todos nós sofremos as mesmas dores e dificuldades. Todos buscamos amor, felicidade, paz, o fim dos sofrimentos, limites e dores. Nossos corações batem em um só compasso, como células de um imenso corpo, dependemos uns dos outros.

Quando comecei a estudar a teosofia e a astrologia, ouvi pela primeira vez que, quando um de nós evolui sua consciência, a raça humana como um todo evolui junto. Devo confessar que a princípio não entendia muito bem essa frase, mas com o passar dos anos e através das inevitáveis transformações que a vida nos obriga a caminho de nossa maturidade acabei entendendo, ou melhor, compreendendo o significado dessa frase.

Com essa consciência, ou seja, a consciência de que nosso crescimento ajuda e provoca inevitavelmente o crescimento de toda humanidade, aumenta nossa responsabilidade como seres humanos que somos, feitos de uma só matéria, filhos de um só Pai. Somos células de um mesmo corpo, de um mesmo cérebro, infinitamente inteligente.

Cada movimento que fazemos em direção à nossa cura individual, é um movimento à cura de nossos irmãos humanos. Devemos todos estar atentos à cada palavra falada, a cada gesto e reação, a cada sentimento e pensamento que emanamos, pois a dor ou o amor que recebemos dos outros é o mesmo que damos.

Existe uma inteligência que rege todo nosso Universo, como o maestro de uma grande sinfônica. Se você silenciar sua personalidade e dar voz à sua alma, poderá ouvir essa música, a música dos anjos, que toca incessantemente e não nos damos chance de ouvi-la. Nossa energia deve voltar-se para dentro de nós. Só assim poderemos descobrir esse lugar, esse pedaço de paraíso que guardamos e nem ao menos nos damos chance de reconhecer.

Como reprimimos nossa energia! Como obstruímos a nós mesmos! Como podemos fazer isso conosco, que somos parte de uma grande árvore...vivemos cortando seus galhos! Vivemos nosso dia a dia imersos em nossas dificuldades, em nossos ódios, frustrações, desesperos, inseguranças, medos...não olhamos para mais ninguém além de nós mesmos. E quando olhamos, enxergamos apenas estranhos.

Existe apenas uma forma de cura: o retorno ao nosso coração, à nossa alma, ao núcleo mais profundo que está imerso dentro de nós. Tão profundamente imerso que não conseguimos mais enxergá-lo, contatá-lo. Esse núcleo abriga o amor mais puro que podemos entregar a outro e à vida.

É o amor que emana de uma única energia, por estarmos todos num nível de vibração semelhante, por termos todos a mesma energia espiritual. Nossa cura está inteiramente relacionada ao contato com essa corrente, essa energia interna que designamos amor. Todo nosso ser deve se conectar a essa energia, que todos possuímos, mas que muito poucos conseguem chegar.

Os esotéricos chamam-na de Energia Crística, terapeutas corporais de Core, no budismo é conhecida como o Caminho do Bodhisattva, ou a consciência do amor. Mas pouco importa o nome que damos a essa energia, o que vale é que ela é a expressão de nossa espiritualidade, de nosso amor mais profundo, da unidade que existe entre nós, humanos com o Criador.

Mas infelizmente resistimos bravamente à expressão desse amor. Temos medo de parecermos ridículos, medo da vulnerabilidade aparente. O grande objetivo da criação é o amor, e quando não permitimos a expressão desse amor ficamos doentes. Quando essa energia não encontra fluidez, um braço de rio que seja para desaguar, a dor invade nossa alma e adoecemos.

Aquilo que deveria ser a expressão da vida se transforma em seu oposto e começamos um movimento em direção à morte. Matamos aquilo que há de mais poético em nós e deixamos florescer nossos piores sentimentos. Obstruímos a expressão mais sublime que existe em nós, humanos, e damos lugar a seu oposto, o ódio e a frustração por deixarmos que nosso pequeno ego assuma o comando de nossas vidas.

Mas todos sabemos há quanto tempo essas defesas foram criadas e como é difícil superá-las. Se você quer amor, dê amor, expresse seu amor sem medos. Pergunte-se o quanto tem amado ultimamente, o quanto tem feito coisas boas para você e para os que vivem à sua volta. Aliás, pergunte-se o quanto realmente você tem se importado com seus semelhantes ultimamente?

Pergunte-se tudo isso diariamente, constantemente, e poderá dar início a um grande processo transformador dentro de você e em toda sua vida. No momento que você permitir que esse amor que você tem aí dentro de você se torne expressão verdadeira em seu dia a dia, tudo em você se revestirá de um outro sentido, a vida terá um outro sentido.

Por que, como disse, o amor é o grande objetivo do Criador, e quando você se une a esse amor, estará dando permissão à expressão do próprio Criador através de você em direção à sua vida.

Poderia ser tão simples se não fosse extremamente complicado. Seria mais fácil se não tivéssemos uma memória celular, inconsciente. Mas somos uma máquina de sentir. Registramos tudo o que sentimos e construímos nossas defesas. Na maioria das vezes, essas são defesas que acabam por nos destruir, se não forem observadas bem de perto.

Na tentativa de nos salvarmos, e nos salvamos de certa forma, acabamos por nos destruir. Alguns conseguem sobreviver a si mesmos, mas, infelizmente outros desistem em meio ao caminho. Complicado esse nosso caminho humano! Mas também maravilhoso...

De qualquer maneira, a vida é maravilhosa...e o Criador nos deixou a dádiva da escolha. E escolher a vida através do amor é sempre, indiscutivelmente a melhor das escolhas!

Fonte: Terra - Vida Interior
[Imagem: pôr do sol mount dora, lilia lima]

Posted by Lilia at outubro 12, 2007 11:37 PM
Comments