maio 08, 2008

Mude a pergunta...

waterlily_big_greenbug_wetlands_5oct 095_croped_closeup_600.jpg

Rubia A. Dantés

Antes... quando não sabia de algumas coisas que hoje são mais claras para mim, diante de qualquer sofrimento, vindo de alguém ou de alguma situação, costumava perguntar:
- Por que essa pessoa está fazendo isso comigo? Ou: por que essa situação entrou na minha vida?
Hoje nas mesmas situações pergunto:
- O que em mim está atraindo esse problema?

E isso faz toda diferença.

No primeiro caso eu não sabia o motivo, mas... sempre ficava implícito que o que me machucava vinha de fora e, consequentemente quem deveria mudar era o outro (ou os outros)...
Geralmente, quando pensamos assim nos colocamos como vítimas, e as vítimas sempre dependem da boa vontade do outro... ficam sempre na expectativa que o outro mude e reconheça que errou... que a vida mude, que algo venha de fora para nos salvar... Ficamos na dependência de uma possível mudança do outro... das circunstâncias... sem entender que tudo só muda quando nós mudamos.

Custamos a entender que, mesmo que o “outro” mude, continuaremos atraindo inúmeros “outros” que vão nos trazer o mesmo tipo de situação... porque o problema não está no outro e sim dentro de nós.

Continuaremos na eterna posição de vítimas indefesas... e na minha opinião essa é uma das piores situações para se ficar na vida.

Mudando a pergunta para: o que em mim está atraindo essa situação ou esse problema? Mudamos tudo, porque assumimos a responsabilidade por aquilo e, portanto, a possibilidade de fazer alguma coisa para liberar o que nos faz sofrer.

O Ho’oponopono torna muito mais claro esse processo todo quando nos mostra que somos responsáveis por guardar memórias que atraem os problemas e são elas que nos colocam no círculo vicioso da eterna repetição dos mesmos padrões que tanto nos prendem e limitam nossa vida.

Se quisermos persistir no padrão é só continuar com a primeira pergunta... se quisermos realmente crescer e evoluir é só assumirmos 100% de responsabilidade e partirmos para a liberação daquilo que nos faz atrair esse tipo de situação.

Muitas coisas aconteceram depois que comecei a fazer o Ho’oponopono... uma das mais preciosas é que sinto que para tudo na vida existe uma solução... e que essa solução está nas nossas mãos...
Saber que a decisão de pedir à Divindade para limpar qualquer problema está nas nossas mãos faz uma diferença enorme. Quando entregamos à Divindade a função de limpar as memórias, que causam os problemas... e confiamos que com certeza isso está acontecendo, entendemos que a partir dessa liberação o que for melhor vai acontecer em nossa vida.
Se tivermos um entupimento em um cano que obstrui a passagem de água, sabemos que a solução é limpar o que está obstruindo o cano e que a partir daí a água fluirá livremente... Não nos preocupamos em criar com a mente o que vai acontecer com a água depois que estiver livre, porque sabemos que ela simplesmente fluirá... encontrando o melhor caminho.

Assim é com o Ho’oponopono, sabemos que quando estiverem limpas as memórias que impedem a Divindade de fluir livremente... Ela fluirá, sem que precisemos determinar seus caminhos.

E quando limpamos em nós... limpamos no Todo

Como sempre gostei da entrega, porque entendia que as escolhas do ego nem sempre são as mais acertadas, com o Ho’oponopono me sinto em casa para entregar completamente meus caminhos ao Grande Mistério, pois entendo que estou fazendo a minha parte.

Confio plenamente que, decidindo pela limpeza das memórias que causam os problemas, eles deixam de existir... e entrego meus caminhos suavemente nas mãos de Quem vai sempre me colocar no lugar certo... na hora certa... onde vou encontrar o que é melhor para minha vida, a cada dia...

fonte: Somos Todos Um

Posted by Lilia at maio 8, 2008 08:33 PM
Comments