novembro 28, 2005

Avançando e recuando diante de si

Eneida Lima *

avancandorecuando-yoyo.gif O sim e o não. Eis a questão. Dizer sim quando tudo é favorável à aceitação de um momento, e dizer não quando se faz óbvia a recusa de uma situação. É fácil!

O problema existe quando queremos dizer sim e dizemos não, ou, o não grita dentro de nós e dizemos sim. Pior ainda, quando dizemos sim ou não e carregamos a culpa por termos aceitado ou negado.

No nosso processo de amadurecimento, percebemos que os fatos da nossa vida têm um seguimento e uma coerência. Não podemos avançar sem a continuidade e o encadeamento desse processo de sentimentos e pensamentos. Quando não encontramos o elo de ligação ou o fio que costura nosso entendimento, recuamos ou paralisamos no caminho.

A culpa que nos abate quando proferimos um não, revela o nosso medo frente ao julgamento e à rejeição do outro. Tentamos justificar, explicar em demasia. E, na verdade, esquecemos de ficar juntos a nós mesmos. Com coerência e determinação, respeitando o espaço, o tempo e a forma de expressão do outro, podemos dizer não sem culpa. Mas é preciso que o nosso equilíbrio esteja presente. Que o discernimento venha para separar o joio do trigo, e saber que cada coisa é tal qual se apresenta.

O sim também pode trazer culpa. Quando dizemos sim para o mundo e negamos a vida dentro de nós. A alegria e o bem-estar. Recuamos diante da colocação do outro. Todo movimento no nosso psiquismo é dual. Tem luz e sombra, é sim e não ao mesmo tempo. Depende do nosso ponto de vista. Se eu me coloco no lugar do desejo do outro, eu não consigo lhe dizer não. Mas se eu me coloco no meu lugar de participante observador, eu consigo lhe dizer não, sem achar que lhe causei alguma infelicidade.

Muitas vezes, não percebemos que o sentimento de culpa que nos atormenta, por termos dito não a alguém, encobre o descrédito que temos em relação à capacidade de adaptação do outro. Pensamos no outro como um coitado que foi frustrado e incompreendido. E, com isso, esquecemos que esse outro possui uma capacidade de reação para se adaptar a situações novas.

Outra coisa importante é que, mormente, nós somos manipulados pela fraqueza que o outro demonstra ter, e não tem. Na verdade, ele quer apenas conseguir seus objetivos. E nós entramos na história vestindo os trajes da culpa, abrindo mão de nossa verdadeira posição.

Sim e não são polaridades do mesmo eixo. Cabe a nós estarmos centrados para termos coerência e convicção da afirmativa do não e da negação do sim.

* Eneida Lima é psicóloga
fonte: JB Online caderno vida

[Imagem: Sam, my-yo-yo]

Posted by Lilia at 02:06 PM | Comments (0)

novembro 20, 2005

Os 3 passos para qualquer coisa que você queira Ser, Fazer ou Ter

extraído de um texto de Cláudia Martinez encontrado aqui:

Capítulo 10
(Capítulo 10 do livro "Ask and it is given. Learning to manifest your desires", de Esther e Jerry Hicks, com base nos ensinamentos de Abraham, que é uma comunidade de seres "não-físicos". Para mais informações, visite o site www.abraham-hicks.com ).

3passos-douglas-grand-bazaarV.jpg Os 3 passos para qualquer coisa que você queira Ser, Fazer ou Ter
Conceitualmente, o processo criativo é simples. Consiste de 3 passos:

· Passo 1 ( trabalho seu): Você pede.
· Passo 2 (não é trabalho seu): A resposta é dada.
· Passo 3 (trabalho seu): A resposta, a qual foi dada, deve ser recebida ou permitida (você tem que deixá-la entrar).

Passo 1: Você pede
Por causa do ambiente diversificado no qual você vive, o passo 1 é fácil e automático porque as suas preferências naturais nascem dos contrastes dessa diversidade. Tudo (desde os desejos mais discretos ou mesmo inconscientes, até os desejos mais claros, precisos e vívidos) resulta das experiências contrastantes do seu dia a dia. Desejos (ou pedidos) são efeitos colaterais naturais, porque você se expõe a esse ambiente variado e cheio de contrastes. Sendo assim, o passo 1 vem naturalmente.

Passo 2: O Universo responde
O passo 2 é um passo simples para você, porque não se trata de nenhum trabalho seu. O passo 2 é o trabalho do Não-Físico, o trabalho do Deus Poderoso. Todas as coisas que você pede, pequenas ou grandes, são imediatamente entendidas e encomendadas, sem exceção. Cada ponto da Consciência tem o direito e a habilidade de pedir, sendo que todos os pontos da Consciência são honrados e respondidos imediatamente. Quando você pede, lhe é dado. Toda vez.

Algumas vezes os seus pedidos se expressam com palavras mas, com mais frequência, eles emanam de você em forma de vibração, como um fluxo constante de preferências pessoais precisas, uma se acentuando na outra e cada uma delas sendo respeitada e respondida.

Toda pergunta é respondida. Todo desejo é dado. Toda oração é respondida. Todo desejo é garantido.

Mas o motivo pelo qual muitas pessoas discordariam dessa afirmação Verdadeira, mencionando exemplos de desejos não realizados em sua experiência de vida, é porque elas ainda não entenderam e não completaram o passo 3, que é muito importante. Sem completar esse passo, a existência dos passos 1 e 2 poderia passar despercebida.

Passo 3: Você permite a entrada
O passo 3 é a aplicação da Arte da Permissão. É realmente a razão pela qual o seu sistema de orientação existe. É o passo no qual você ajusta a frequência vibracional do seu Ser, para combinar com a frequência vibracional do seu desejo. Da mesma forma que o seu rádio precisa estar sintonizado na frequência da estação que você quer ouvir, a frequência vibracional do seu Ser deve combinar com a frequência do seu desejo. É isso que chamamos de Arte da Permissão - ou seja, permitir o que está pedindo. A menos que você esteja na frequência de recebimento, as suas perguntas, mesmo tendo sido respondidas, vão parecer sem resposta para você; as suas orações vão parecer que não foram respondidas e os seus desejos não serão realizados - não porque eles não tenham sido ouvidos, mas porque as suas vibrações não combinam, dessa forma você não os deixa entrar.

Cada assunto é, na verdade, dois assuntos: O que quero e o que não quero

Cada assunto é, na verdade, dois assuntos. Existe aquilo que você quer e aquilo que está faltando. Frequentemente - mesmo quando acredita que está pensando em algo que deseja - você está, na verdade, pensando exatamente no oposto do que deseja. Em outras palavras: "Eu quero estar bem; não quero estar doente." "Eu quero ter segurança financeira; não quero experimentar a falta de dinheiro." "Eu quero que um relacionamento perfeito chegue para mim; não quero ficar sozinho."

O que você pensa e o que consegue sempre combinam vibracionalmente, então pode ser muito útil fazer uma correlação entre o que você está pensando e o que está se manifestando na sua experiência de vida. Mas é ainda mais útil você poder discernir para onde está indo, mesmo antes de chegar lá. Uma vez que você entenda as suas emoções e as mensagens importantes que elas estão lhe enviando, não terá que esperar até que algo se manifeste na sua experiência para entender qual tem sido a sua oferta vibracional - pelo que está sentindo, você poderá saber exatamente para onde está indo.

Sua atenção deve estar no desejo, não no que está faltando
O processo criativo está sempre ocorrendo, você estando consciente dele ou não. Por causa da variedade e contraste das suas experiências, novas preferências estão continuamente nascendo dentro de você e, mesmo sem saber, você as transmite como se fossem requisições. E no momento em que transmite uma preferência, a Fonte de Energia recebe a sua requisição vibracional e, pela Lei da Atração, oferece respostas imediatas, às quais você tem que se alinhar vibracionalmente.

A razão pela qual você nem sempre tem consciência de que seus pedidos foram respondidos é porque sempre tem um espaço entre o seu pedido (passo 1) e a sua permissão (passo 3). Com frequência, mesmo que um desejo claro tenha sido emanado de você por causa de algum contraste que tenha levado em consideração, ao invés de prestar atenção puramente no desejo em si, você se concentra de volta na situação que deu origem ao desejo. E fazendo isso, a sua vibração é mais a respeito do motivo que lhe fez lançar o desejo do que é a respeito do desejo em si mesmo.

Por exemplo: seu carro está ficando velho e está começando a dar defeitos. Conforme você começa a notar que a beleza do seu carro está desaparecendo, você se percebe desejando um carro novo. Como você queria muito aquela sensação de segurança que um carro novo traz, a vibração de um "desejo foguete" emanou de você. E a Fonte a recebeu e com gentileza respondeu imediatamente.

Só que, como você não estava consciente das Leis do Universo e do Processo de Criação em 3 Passos, aquele sentimento de desejo fresco e alegre durou muito pouco. Ao invés de colocar imediatamente a sua atenção na direção daquele desejo fresquinho e continuar a ponderar sobre a idéia daquele delicioso carro novo (dessa forma conseguindo uma harmonia vibracional com a sua própria idéia nova), você volta a olhar para o carro que tem agora, mostrando as razões pelas quais deseja um carro novo. "Esse carro velho não me satisfaz mais", você conclui, sem perceber que ao olhar para o carro insatisfatório, está virando a sua vibração de volta para ele e não na direção do carro novo que deseja. "Eu realmente preciso de um carro novo", você explica, apontando para marcas de batidinhas, rachos e a falta de segurança na performance do carro velho.

Com cada frase de justificativa e de necessidade por um carro novo, sem saber, você reforça a vibração da sua situação insatisfatória e fazendo isso, continua a se manter fora de alinhamento vibracional com o seu novo desejo e fora da frequência de recebimento do que está pedindo.

Enquanto estiver mais consciente do que você não quer, em relação a essa situação, o que você quer não pode vir até você. Em outras palavras, se você estiver pensando predominantemente no seu lindo carro novo, ele estará firmemente a caminho na sua direção mas, se você estiver pensando predominantemente no seu inseguro carro atual, o seu carro novo não poderá se mover na sua direção.

Pode parecer difícil fazer uma distinção entre pensar realmente no carro novo e ficar martelando no carro velho, mas uma vez que você estiver consciente do seu Sistema de Orientação Emocional, essa distinção será fácil de fazer.

Agora você tem a chave para criar todos os seus desejos
Uma vez que você perceber que seus pensamentos se igualam ao seu ponto de atração e que a sua forma de sentir indica o seu nível de permissão ou resistência, isso significa que você tem a chave para criar qualquer coisa que desejar.

Não é possível que você sinta consistentemente uma emoção positiva a respeito de alguma coisa e ela saia mal, da mesma forma que não é possível que você se sinta consistentemente mal a respeito de alguma coisa e ela saia bem. Porque a maneira que você sente vai lhe dizer se está permitindo o seu Bem-Estar natural ou não.

Ainda que não exista uma fonte de doenças, você pode oferecer pensamentos que não permitam o fluxo natural do seu Bem-Estar, assim como pode oferecer pensamentos que não permitam o fluxo natural da sua abundância, ainda que não exista uma fonte de pobreza. O Bem-Estar está constantemente indo na sua direção e se você não tiver aprendido pensamentos que diminuam ou restrinjam, você estará experimentando o Bem-Estar em todas as áreas de sua vida.

Não importa onde você se encontre atualmente em relação a qualquer coisa que desejar, se prestar atenção na maneira que você pensa e, se dirigir os seus pensamentos para pensamentos que tragam uma sensação melhor, você conseguirá entrar em harmonia vibracional com o Bem-Estar novamente, que é uma coisa natural para você.

Lembre-se que sendo uma extensão da Energia-Não-Física, pura e positiva, quanto mais em harmonia vibracional você estiver com o seu EU, melhor você se sentirá. Por exemplo, quando está apreciando alguma coisa, você tem uma vibração que combina com quem realmente é. Quando ama alguém, ou a si mesmo, você tem uma vibração que combina com quem realmente é. Mas, se estiver achando defeitos em si mesmo ou em outra pessoa, naquele momento você estará oferecendo uma vibração que não combina com quem você realmente é. E a sensação negativa que sente naquele momento é a indicação de que introduziu uma vibração de resistência e que não está mais no estado de permitir a Conexão pura entre o seu eu físico e a sua parte não-fisica.

Sempre nos referimos à sua parte não-física como o seu Ser Interior, ou a Sua Fonte. Mas não importa o nome dado à fonte de energia ou à força da vida, o que importa é que você esteja consciente e saiba quando está permitindo a conexão com ela e quando a está restringindo de alguma forma. Suas emoções são seus indicadores constantes do nível de permissão ou resistência com essa conexão.

Cláudia Martinez - Filadélfia - EUA

[Imagem: Douglas, Grand Bazzar V]

Posted by Lilia at 01:02 PM | Comments (0)

novembro 15, 2005

o maior responsável pela sua dor é voce

Rosemeire Zago

responsaveldor-henri-matisse-king-sadness.bmp Dor da indiferença, do desprezo, do abandono, da perda. Com certeza são dores que fazem sangrar mais que qualquer ferida. Faz nos sentir sem valor, diminuídos, sem energia ou forças sequer para respirar, e o pior, faz nos sentir seres indignos de receber amor. Coloca ainda em risco nossa saúde mental, levando-nos muitas vezes a acreditar que nunca a tivemos. Ficamos sem rumo, sem o chão para nos apoiar, porque quase sempre não temos com quem contar, um ombro para chorar. Auto-estima e amor-próprio não fazem mais parte de nossos sentimentos. Perde-se o controle das palavras, das ações e até de si mesmo.

O desejo racional nestes momentos raramente coincide com o desejo emocional. A razão pede para ir embora e a emoção pede para ficar, com o desejo enorme de encontrar alguém que venha nos salvar. Espera-se que alguém tire essa dor que dilacera tudo por dentro. Pura ilusão, pois a única pessoa que pode fazer algo por você, melhor que qualquer outra pessoa, é você mesmo, mesmo que se sinta incapaz para isso. A melhor forma de nos frustramos é esperarmos que alguém mude ou faça o que esperamos.

Quando somos levados apenas pelas emoções, parece que perdemos o controle e não conseguimos discernir mais o certo e o errado. As emoções não obedecem à razão. O que fazer então, quando o conflito é gerado por tantos sentimentos?

É preciso neste momento tentar descobrir a causa da dor. Se continuar chorando, gritando, controlando, cada vez mais ficará com a dor que tanto machuca. Deve-se também buscar a certeza de qualquer atitude que vá tomar, para que não transforme o conflito em mais sofrimento ou arrependimento, muitas vezes impossível de ser transformado. Por mais que possamos responsabilizar alguém por nossas dores, somos nós mesmos que a causamos ao permitirmos que tal situação permaneça. Podemos culpar pais, irmãos, namorados, chefes, etc, mas isto nada adianta.

A dificuldade está dentro de cada um de nós por não conseguirmos mudar os fatos, que por vezes podem ser difíceis de serem aceitos. É a interpretação que damos aos acontecimentos e situações que nos leva ao sofrimento. É quando esperamos algo que nunca vai chegar. Vale lembrar da Oração da Serenidade adotada pelos Alcoólicos anônimos no mundo inteiro:

"Que Deus me dê serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar,
coragem para mudar as que posso e
sabedoria para distinguir umas das outras".

Já chorou tudo o que tinha para chorar, agora é hora de sair da posição de vítima, que não nos permite sair do lugar e tornar-se responsável pela própria vida. Chega de lamentações. Muitos machucam aos outros e a si mesmo para conseguir o que esperam, fazendo de tudo para resgatar o que um dia acreditou. É claro que muitas vezes alguém pode realmente tê-lo machucado, porém isto não deve servir de pretexto para manter o que tanto machuca.

Ninguém está livre de problemas e nem das contrariedades da vida, mas manter tudo isto ou não só depende de cada um de nós. Se uma situação é intolerável, se você se sente desprezado, rejeitado, por que manter tal situação?... Não é preciso perder sua saúde mental para só depois tentar fazer algo. O momento de reagir é agora, enquanto há o mínimo de forças. É preciso compreender que as soluções estão dentro de nós e não em outra pessoa ou situação externa. É importante às vezes sairmos fora de nós mesmos e observarmos a situação como se estivéssemos assistindo a um filme, para então podermos colocar luz onde é só escuridão.

É sua responsabilidade fazer algo para melhorar. Não espere que o outro te dê amor, carinho, atenção, colo, te faça se sentir importante, você é quem deve se dar tudo isso. Devemos aprender a aceitar o que não pode ser mudado, aprender que não podemos colocar sentimentos dentro de alguém e muito menos, colocar nossa capacidade de amar nas mãos de alguém. Não é porque o outro não valoriza o que você é e faz, que tudo isso não tem importância. Tem sim e muita, o outro é que não tem sensibilidade para perceber seu real valor. Então para que continuar uma situação que machuca e te enfraquece tanto?

Tudo o que temos é o dia de hoje e dependerá de você vivê-lo da forma mais harmoniosa possível. Sua força vem de você e da construção de relacionamentos saudáveis com as outras pessoas e com você. As feridas podem e devem se cicatrizar, mas não permita que essa dor que dilacera e destrói tudo por dentro permaneça te fazendo desistir de você e de viver. Lembre-se: amor, atenção, carinho, amizade, não se pede. Apenas se recebe.

[Imagem: Henri Matisse, The king's Sadness]

Posted by Lilia at 10:16 AM | Comments (0)

novembro 01, 2005

Você tem o poder!

Silvia Malamud
vocetemopoder-joanmiro-ballerinaII.jpg Se você ainda não se sente pronto para entrar em ambientes novos, com escolhas diferentes das que você tem vivenciado, isso pode significar que você ainda não compreendeu o significado total da experiência que está passando. A repetição das mesmas experiências em diferentes cenários pode servir para você se saturar e quem sabe - num destes momentos - perceber que já assimilou este aspecto da sua existência. Pense que as mudanças de cenário, podem funcionar como agentes impulsionadores para a consciência dar o pulo do gato e definitivamente sair de seu estado vicioso que gera uma espécie de sonambulismo crônico.

Por outro lado, no instante mágico em que a consciência entende a experiência que está passando, ela elabora realizando uma síntese criativa de si mesmo, ou seja, percebe-se em novas nuances com possibilidades de expressão nunca antes imaginadas.

Só mediante a sensação de êxtase numinoso provocado por um “insight”, é que a pessoa se “ilumina” habilitando-se a abandonar a sua antiga identidade construída dentro de um esquema repetitivo e efetivamente parte para muitos outros tipos de experiências.
Penso que a grande sacada da nossa era será quando saímos do cenário - que nós próprios criamos de modo inconsciente - para lucidamente nos tornamos criadores autoconscientes de novas experiências. Isto, porém requer uma transformação da estrutura do eu cultural criado para esta nossa atualidade.
O novo pode trazer um questionamento sobre a nossa identidade anterior e uma possível angustia sobre se o que virá poderá tirar os nossos pés de um território que por pior que fosse, nos era conhecido.
A minha sugestão é que, antes que você acione um desejo para uma mudança de vida, você pesquise dentro de você mesmo o quanto está apto a mudar. Mudanças podem gerar transformações importantes em toda uma vida. Não é ruim, mas você deve pesquisar se está pronto.

Se você está experienciando algo e, por mais que queira, não vê possibilidades de uma mudança, é sinal que você de algum modo ainda não está pronto para abandonar a experiência, então deve permanecer nela até sentir que pode escolher algo de diferente para si mesmo. Mas não sucumba nesta posição e lembre-se de que na maioria das vezes, você deve “gritar” para o seu corpo acordar de um vicio emocional que gera realidades repetitivas!

Para efetivamente gerar uma mudança em sua realidade existem alguns pressupostos básicos de acionamento interno:

- Acionar um desejo intenso de mudança, lembrando que o nosso corpo físico já está acostumado a interpretar a realidade de acordo com um comando anterior, e que portanto com certeza irá se opor ao novo, enviando emissores para a sua mente parar com qualquer idéia inovadora.
Use sua força e em hipótese alguma desista. Lembre-se que de inicio, o seu desejo deve se sobrepor ao vicio emocional que gera uma imensa rede de respostas neurais.

- Você tem o poder de gerar novas sinapses em si mesmo por intermédio de foco e desejo intenso.
Vale a pena mudar um padrão repetitivo e enviar ao seu cérebro um padrão de constante mudança com cheiro de aventura autoconsciente!
Para que este processo se de com eficiência, a regra básica é a de não se distrair nem por um instante de seus objetivos. Esteja no foco a todo momento!
Se você fizer isso constantemente, perceberá que dentro de você se abrirá um novo tipo de sensação confortante. Perceberá como você detém o poder de mudar a sua vida e a cada nova percepção, a sua auto-estima reforçada, robustecerá novas intenções deliberadas. A quebra de padrões repetitivos nos coloca em cheque para nos perguntarmos a todo o momento, quem desejamos ser e como.
E perceber os ecos antigos que nos davam a sensação de uma identidade - com cuidado para não sucumbirmos no antigo - até que este eco se esvaeça totalmente e você se crie deliberadamente com total autonomia.
Conceba esta possibilidade de existir e faça dos seus desejos e intenções ações conscientes de transformação pessoal.
Você pode. Você merece.

Lembre-se:
- Quem trilha o caminho do autoconhecimento está sempre se transformando e já não fica no tédio de sempre repetir as mesmas experiências. (Frase do amigo Ricardo Chioro)

Fonte: Somos Todos Um
[Imagem: Joan Miro, "Ballerina II"]

Posted by Lilia at 08:20 PM | Comments (0)